Fórum sobre a discussão e produção do Projeto Político Pedagógico do Centro Educacional Municipal São Luiz (São José-SC)


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Conceito de Escola

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Conceito de Escola em Qua Nov 14, 2012 12:49 pm

A EBM Docilício Vieira da Luz é um espaço que agrega pessoas que fazem a história de um lugar que é formado por famílias oriundas de outros contextos, outras cidades; de profissionais que ocupam várias funções, seja administrativa, operacional ou pedagógica. Cada qual com seus costumes, histórias, princípios, crenças e valores que em convívio escolar trazem desafios constantes para o equilíbrio do processo educacional, profissional e escolar. As relações estabelecidas entre infante X infante, infante X docente, infante X equipe pedagógica, infante X equipe gestora, docente X docente, docente X equipe pedagógica, bem como os afins, se fazem em harmonia e dissonância construindo o perfil da instituição.

Todos os aspectos inerentes a esse processo devem ser encaminhados para que os objetivos e metas sejam realizados com plenitude.

O eixo norteador da escola é formar cidadãos críticos, construtivos, participativos e capazes de atuarem sendo corresponsáveis pelo processo inovador e transformador para uma vida mais justa.

Diante dessa realidade os responsáveis pela escola provocam situações reflexivas que ajudam as famílias, por meio dos alunos, e das ações pedagógicas saber da importância do processo do desenvolvimento intelectual, psicológico, cognitivo, social e cultural das crianças, adolescentes, jovens e adultos que formam esse contexto.

Assim, nossa escola contribui para a otimização da democracia na sociedade, por meio da formação científica e cultural dos alunos oferecendo possibilidades de emancipação, seja no saber sistematizado, assimilação ativa, transmissão ou reavaliação crítica dos conhecimentos.



Inclusão

Entende-se que a inclusão escolar se da num processo de acolhimento dos sujeitos, onde todos possam estar aprendendo de forma significativa, independente de suas diferenças.

A integração se refere ao ingresso de crianças com deficiência na escola regular, no qual apresenta uma escola onde oalunoprecisa adaptar-se a escola e com seus padrões estabelecidos pelo meio sociais.Do contrario a inclusão vem romper com as diferenças e com o preconceito,onde se valoriza as potencialidades das crianças, não somente daquelas que são rotuladas com “necessidades especiais”, mas sim todas que estão no processo de aprendizagem num contexto de escolarização. Desta maneira, a escola inclusiva precisase modificar, assim como a sociedade, para receber e acolher todas as pessoas, proporcionando um caráter de reunir todos os alunos no ambiente escolarcom ou sem dificuldades, respeitando as individualidades que nos tornam diferentes.

Como afirma Montoan (1997, p. 235):


A integração traz consigo a idéia de que a pessoa com deficiência deve modificar-se segundo os padrões vigentes na sociedade, para que possa fazer parte dela de maneira produtiva e, conseqüentemente ser aceita. Já a inclusão traz o conceito de que é preciso haver modificações na sociedade para que esta seja capaz de receber todos os segmentos que dela foram excluídos, entretanto, assim em um processo de constante dinamismo político social.


Neste contexto, os profissionais da educação têm um papel importante neste processo, onde suas práticas e alternativas pedagógicas precisam estar articuladas com a cultura do respeito a individualidade e sua diferenças. Em suas dimensões sociais, econômicas, culturais e crenças religiosas, onde as limitações e valores dos indivíduos sejam observados e estimulados para um processo de aprendizado significativo para os sujeitos escolares.


Avaliação

A avaliação no âmbito escolar é parte importante no processo de ensino e aprendizagem do aluno. Assim como, infere em reflexão da própria prática pedagógica, estabelecendo as relações existentes entre aluno, professor e o conhecimento. Ao utilizar diversificados instrumentos avaliativos tem-se por objetivo contemplar as diferentes especificidades encontradas em uma sala de aula. Sendo assim, a avaliação deve ser processual e contínua.

Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCNs (1998, p. 93) a avaliação deve ser compreendida como conjunto de ações organizadas com a finalidade de obter informações sobre o que o aluno aprendeu, de que forma aprendeu e em quais condições.

De acordo com a Proposta Curricular do Município de São José ( 2000) deve-se ter em mente uma concepção de avaliação qualitativa e quantitativa; diagnóstica, processual e emancipatória, “que reflitam o mais significativamente possível o trabalho educativo, a prática pedagógica, como um processo vivo, forte, intendo, dialético, de mediação-interação-dialogicidade” (SÃO JOSÉ, 2000, p. 37).

Diante do exposto, o processo avaliativo desenvolvido no Centro Educacional Municipal São Luiz vem de acordo com as diretrizes nacionais, estaduais e municipais, que regem a educação brasileira, atendendo assim a necessidade de adequar-se as mais diferentes especificidades de sua clientela em qualquer tempo e espaço.


1.1 Aspectos Legais da Avaliação - Resolução Nº 20/08/COMESJ/SC

A Resolução Nº 20/08/COMESJ/SC, diz respeito à avaliação do processo ensino-aprendizagem. Seus capítulos e artigos permeiam os parâmetros e normas que regem o processo de avaliação da aprendizagem realizado nas unidades escolares municipais do município de São José. Neste documento (Projeto Político Pedagógico – PPP), destacaremos os seguintes artigos:

Art. 1º A avaliação do processo ensino-aprendizagem escolar é de responsabilidade das instituições de Ensino, na forma do seu Regimento Interno e do Projeto Político Pedagógico (PPP). Esta deverá compreender o aproveitamento da aprendizagem e a apuração da assiduidade dos alunos.

Art. 6º Ao final do ano letivo, para efeito de cálculo de aprovação, utilizar-se-à a seguinte fórmula:
MA = MB1 + MB2 + MB3 + MB4 ≥ 7
4
MA = Media Anual
MB = Media do Bimestre

Art. 7º Para efeito de cálculo, mediante o Exame Final, o aluno que não atingir média sete (7,0), utilizar-se-à a seguinte fórmula:
MF = MB X 7 + NEF X 3 ≥ 5
10
MF = Media Final
MB = Media dos Bimestres
NEF = Nota do Exame Final

Art. 8º Será considerado reprovado, o aluno que após o Exame Final, permanecer com média inferior a cinco (5,0) em qualquer uma das disciplinas que compõe a Matriz Curricular.

Art. 9º Ter-se-ão como aprovados quanto à freqüência, os alunos que alcançarem setenta e cinco por cento (75%) do total de horas letivas.







Art. 13º

Parágrafo único. A recuperação paralela será realizada no decorrer dos bimestres e a nota obtida, quando maior, substituirá a nota do conteúdo retomado.

Art. 15º Quando o aluno deixar de realizar qualquer avaliação durante o bimestre e não apresentar a devida justificativa em tempo previsto na legislação, a respectiva nota será zero (o,o).


1.2 Tipos de Avaliação

1.2.1 Ensino Fundamental – Anos Iniciais

Conforme disposto na resolução 020/08/COMESJ/SC, a avaliação da aprendizagem nas séries iniciais do ensino fundamental de nove anos será de forma descritiva através da confecção de um relatório bimestral e individual, no qual deverá constar aspectos relacionados ao desenvolvimento intelectual, pessoal e social do aluno. Os trabalhos pedagógicos desenvolvidos em sala de aula durante o bimestre servirão como instrumentos para a elaboração do relatório descritivo.

1.2.2 Ensino Fundamental – Anos Finais

Quanto ao número mínimo e sugestões de avaliações desenvolvidas pelas diferentes disciplinas no decorrer de cada bimestre, segue o quadro abaixo:

Disciplina
Aval. 1
Aval. 2
Aval. 3
Aval. 4
Português
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

Matemática
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

Ciências
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe
Comprometi-mento com a disciplina*
Geografia
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

História
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

Ling. Estrangeira
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

Artes
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

Ed. Física
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe

Filosofia
Prova individual sem consulta
Pesquisa individual
Trabalho em equipe


* Esta avaliação consiste em valorizar e quantificar a (o): assiduidade, engajamento e participação nas atividades propostas, comprometimento com as atividades desenvolvidas na coletividade do espaço escolar, assim como, no cumprimento das normas que permeiam o bom funcionamento desta unidade escolar.


REFERÊNCIAS

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. A Integração de pessoas com deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Memnon Editora SENAC, 1997.


Prof. MSc. Odimar Lorenset
Mestre em Educação - UDESC
Fone: (48) 8465-5604[b]

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum